POEMA CABELUDO

Tem um cabelo nesse poema
e um poema nessa sopa.
Vou devorar a sopa até me engasgar.
Um cabelo duro como arame.
E o significado? Estava na sopa.
Era um cabelo ou um maço?
Morreu entalado tentando engolir o mundo.
Meu filho, ninguém deve tentar mastigar água.
Os dentes se batem e se quebram.
Pior que comer cabelo é comer a si mesmo.
Canibalismos suicidas que mastigam primeiro o mindim.
Tem um dente nessa mordida.
Comeram a sopa.
Digeriram o poema.
O cabelo ficou preso pelo meio.